20 de nov de 2012

Jack Esparro em: "A Fera"


Eu jamais falaria assim da minha namorada. Nunca contaria uma história dela pra ninguém.

Nos conhecemos na noite, no bar mais afastado da cidade. Pra chegar lá tem mais curvas do que retas no caminho. Sair de lá bêbedo e dirigindo é o novo esporte radical da galera. Aliás, essa modalidade de esporte radical tem feito estrago.

Ela me olhava de longe enquanto falava com as amigas, bebia, dançava. Eu tomando uísque e fumando charuto. Saí preparado pra guerra, casaco de couro, anéis, brinco e gel no cabelo. Eu sorria para ela e ela sorria para mim.

Ela estava de mãos abanando, apenas dançando, quando cheguei com um copo e disse, para você. Ela agradeceu, sorriu, brindamos.

Tocava uma banda muito boa, o melhor do rock. Beijei-a com vontade. Um beijo gostoso. Uma pegação gostosa, o clima esquentando, aquela loucura.

Fomos para o estacionamento com a desculpa de fumar e conversar. 


Clima quente entre nós no carro. Uma música boa, uma fumaça no ar, uma mulher para comer, isso é que é vida, é dura a vida do artista. Pensava isso enquanto ela me chupava. Depois a deitei no banco e foi minha vez.

Fiquei por cima colocando-a em meus braços, ela estava toda dentro de mim, e eu estava dentro dela, literalmente. Que mulher linda, olhos claros, pele clara, sorriso bonito. Sorria e pedia, você me come gostoso, mete esse pau, mete. Eu sorria ao ouvir isso e metia com mais força. Até que ela fala, enche minha boceta de porra, enche.

Voltamos para a festa. Música, bebida, barulho, gente, e nós dois, juntos num canto esquentando novamente. Ela ficou me encarando e sorrindo e eu encarando-a e sorrindo, até que não aguentei e perguntei, o que foi? Ela respondeu, no meu ouvido, to aqui pensando que horas você vai me comer de novo.

Voltamos pro carro com uma dose dupla cada um.

Uma loucura dentro do carro! Engraçado, nunca tinha transado em carro mini, e é bom. Um fica por cima do outro o tempo todo. Pra boca não é tão bom, agora, pro resto é ótimo.

Nada como um gole de uísque depois do sexo. Bebemos, fumamos, conversamos.

Já clareando nós acordamos no susto, nus, com o cuidador do estacionamento batendo no vidro e perguntando, vocês não vão embora não?, tenho que fechar o portão.

 Ela pediu para eu dirigir na volta, disse que estava cansada para dirigir. Nem passamos a primeira curva e ela lança sua mão em minha coxa. Acariciou e perguntou, pronto pra outra?

Subi a serra com ela me chupando, o sol nascendo, aquele carro, aquela boca... Foi parar de me chupar na porta da minha casa, quando perguntou, por que paramos aqui, no meio da rua?

É dura a vida do artista.

3 comentários:

Anônimo disse...

Jack é o querido da galera, é o cara que sabe curtir o presente, com a certeza de um ótimo futuro...
abração jack!

Lívia disse...

Que sede a dessa Fera...

Mina Cara disse...

JACK ESPARRO é o favorito da galera, pelo que tenho lido nos comentários!

Valeu, A Mina do Cara te ama!