21 de set de 2012

Que dia!



Acordei alguns minutos atrasados, ainda com sono e cansado. Embora em boa companhia, o dia começou mal. Mesmo assim não me esforcei para voltar ao horário certo; tomei café, preparei minhas coisas, peguei o carro - agora tenho que ir de carro para o trabalho - e fui pela estrada afora...

Com um copo de café na mão, tentando não correr feito um louco pela estrada, ouvindo Badi Assad - só assim pra tentar manter o bom humor - fui em direção à cidade grande. Logo de cara um engarrafamento maior que o de costume. Pensei: não será isso que me tirará do sério, ainda mais porque ainda são sete horas.

Passado o ponto crítico do caminho, o congestionamento continuou. Pronto, chegarei atrasado.

Cheguei alguns minutos atrasados na escola, os alunos já estavam quase quebrando a escola quando me viram e pensaram, todos ao mesmo tempo: puts, ele veio.

É impressionante como sua paciência é testada dentro de uma escola. Para manter-se firme e paciente, é preciso algo a mais - algo que neste dia eu carregava, não sei como, mas carregava.

Não vou contar o dia de professor para não desanimar meus leitores, mas fiquem sabendo, foi uma prova e tanto de paciência. A manhã e a tarde toda falando para as paredes, pedindo, a cada um minuto, atenção, silêncio e, raras vezes, educação. Cansei de pedir para os alunos serem educados. Eu já compreendi. A educação deles é tão grande que não cabe no carro, não tem como trazer à escola.

Depois de um dia estressante na escola, pego o carro e vou para a pós. No trajeto que costumo gastar dez ou quinze minutos, gastei mais de quarenta. Um trânsito infernal. As pessoas se atropelando, furando sinal, xingando. Enfim, um dia de trânsito pesado.

A aula da pós foi um desastre. Um professor despreparado. Estudamos revisão de textos e o professor queria que uma palavra regida por uma preposição fosse sujeito da oração.

Eu mantive a paciência. O dia já tinha sido muito difícil, pesado e triste. Neste dia completou dez anos do falecimento do meu avô, e quatro dias do falecimento da minha avó.

Se valesse nota eu teria tirado mais que a média em paciência. Mas confesso que colei. Ouvi Badi Assad do início ao fim do dia.

2 comentários:

Daniela Schlogel disse...

É meu caro Márcio, esse negócio de educação tá tudo errado! Abaixo a escola, ao Cense e a educação privada!

Hotel Crônica disse...

Oportunidades de estudos em nível de graduação e pós-graduação no Canadá.
Programa Ciência sem Fronteiras
Encontro com a rede de universidades CALDO:
University of Alberta
Université Laval
Dolhousie University
University of Ottawa


A Diretoria de Relações Internacionais da UFMG, em cooperação com a Rede CALDO (Canadá), convida para reunião com representantes de universidades canadenses sobre oportunidades de estudo e de pesquisa no Canadá no âmbito do programa Ciência sem Fronteiras.
Dia: 03 de outubro de 2012
Hora: 12h – 12h45’
Local: Escola de Engenharia – Auditório (hall principal de entrada da Escola de Engenharia)
Contamos com sua participação.