21 de abr de 2011

Nossa história de amor

Sabe por que estou saindo assim, com você na cama, dormindo?

Nossas despedidas não são legais. Seus olhos doem. Toda vez saio pensando que não voltarei, quem sabe nunca mais volte. Sempre saio pensando isso. E é assim que sinto agora ao escrever nossa história de amor.

Estou sentado no sofá, em frente sua cama, e você está para mim como modelo em aula de desenho. Uma pose linda, nua, na cama, com o rosto tranquilo, respiração lenta. Está linda.

Hoje, logo hoje, completamos anos juntos, nos amando. Será que nosso amor foi desde o primeiro dia? Aquele dia era aniversário da minha sogra, eu saí da casa dela, encontrei os amigos, e depois encontrei você. Num ato de loucura, levei-a para minha casa. Ela estava fora – morando fora aquele ano.

Trepamos a noite inteira, acordei cedo, fui jogar futebol, fiz o gol da vitória, voltei para casa e você estava lá, sem entender nada. Fumando na varanda, sozinha.

O que nós vivemos, o que nós sentimos, só nós sabemos, meu amor. Nunca nos tratamos por amor, bem, ou apelidinhos de casal. Nós nunca fomos um casal? Pelo menos nós nunca saímos e ficamos como os casais, em silêncio, entediados, enfadados. Sempre nos divertimos e rimos. Nós nunca brigamos.

Fiquei de falar para você o dia certo que nos conhecemos, lembra? É hoje, dia do aniversário da minha sogra. E é por isso que escrevo enquanto dorme, e por isso vou embora com você dormindo. Vou acordar em casa, é dia de ficar com a família – infelizmente.

Eu saio daqui pensando que nunca mais nos veremos, não voltarei a dormir nesta cama, ao seu lado. Saio pensando no que você me fala: “nós vamos ficar nessa até quando?”

Nossa história de amor não merece terminar com um não querendo saber do outro.

Com amor.

11 comentários:

Camila Lourenço disse...

Tenso.

Patrícia Rocha disse...

"Nossa história de amor não merece terminar com um não querendo saber do outro."

O fim é sempre triste, e nem sempre é do jeito que se quer.

Beijos Lunáticos :)

Andréa Franco disse...

ai ai, esse ter com quem nos mata, lealdade!

Long Haired Lady disse...

a minha historia de amor, começou assim, clandestina, escondida…não nego que tem seu sabor!

mas um dia até isso muda!

Anônimo disse...

O que vivemos é incontável.

Alline disse...

Vai apertar quando esse “nós vamos ficar nessa até quando?” virar conversa de toda hora. Aí eu não queria estar na pele dele, nem na dela.

Beeeeeijo!

Rita disse...

Não é a nossa história de amor, mas o aniversário é da minha mãe! rs

Tá muito bom aqui, hein!

Um beijo!

A Mina do cara! disse...

Camila, um beijo.
__

Patrícia, é sempre triste o fim mesmo, não é?
um beijo

__

Déa, citando Legião e tudo...
um beijo

__

Long, um dia muda mesmo.
um beijo

__

Anônimo, podes crer que é.
um beijo

__

Rita, aqui sempre esteve bom, pelo menos pra mim.
beijo

___

E pra você que leu, gostou e não comentou, um beijo e um abraço do Cara por trás da Mina do Cara!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Amor verdadeiro é amor liberto [libertino], amor sem cobranças... concordo plenamente... o amor de casal, de rotina, de conveniências e convenções e rótulos [sociais], só quebra o encanto... amor é vadio, ou não é... [amor]

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

por que histórias como estas sempre terminam com um não querendo mais saber do outro

A Mina do cara! disse...

Non Je, essa já é diferente, nessa história "é pra" não terminar assim, com um não querendo saber do outro...

As outras "eram pra" ser assim...


abraço
___

Um beijo e um abraço do cara por trás da Mina do Cara!