25 de abr de 2011

Olha a merda que deu (7)

Namorei sério muitos anos, fiquei noivo e quase casei. Tinha data marcada, igreja reservada, madrinhas com vestido na costureira, as tias dela me fritando a cabeça; isso não é novidade, eu sei, já que elas praticamente fizeram tudo, até mesmo forçaram o pedido de casamento.

Faltando um mês para o casamento eu armei um esquema para ela me pegar com uma mulher. Foi um choque, ninguém acreditou, só ela. Terminamos tudo. Enfim, livre.

Comprei uma passagem de ida para uma cidade bem longe, em outro continente, onde estou hoje. Vendi carro, casa, roupas, móveis; só não vendi minha mãe. Sou filho único e não tenho pai, por isso preservei minha mãe.

Fiquei um ano e meio sem dar notícias para as pessoas, só para minha mãezinha que eu ligava a cada dois dias para dizer onde eu estava. Mandava dinheiro pra ela e pedia para guardar, pois não sabia o dia de amanhã.

E foi numa dessa que entrei onde estou agora. Sempre vivi pensando que poderia morrer e não ter aproveitado a vida. Fiz isso com casamento, com os amigos, enfim, com tudo. Não me arrependo de nada, exceto de uma coisa, ter combinado a hora que ligaria para minha mãe.

Liguei no domingo, como combinado. Quando eu disse alô, do outro lado da linha veio uma voz conhecida, “alô, seu cachorro, sei que está numa boa aí, ganhando bem e mandando dinheiro pra sua mãe; quero que saiba de uma coisa, estou entrando na justiça para reaver o tempo de pensão que você não pagou para seu filho, que tem o nome do meu atual marido. Passar bem!”

Puta que pariu, nem aqui eu me livrei dela! E o pior não é isso, minha mãe sempre me fala, “meu filho, ele é lindo, é a sua cara, você precisa ver.”

12 comentários:

Maria Rita disse...

Costumo dizer que a minha lista de merdas é tão extensa que não teria tempo disponível para relatá-las, mas não sei o que seria de mim sem elas.

Talvez se não tivéssemos uma lista dessas aí sim não seríamos merda nenhuma!

Beijos pra Ti

Amanda Luna disse...

kkkkk ô sorte hein? kkk
beijão
www.sermulhereomaximo.com.br

Long Haired Lady disse...

não sei o que é pior, pagar pensão pra um filho que tem o nome de outro, ou o outro ter um filho que é a cara de um…rsrsrs

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk... Cara, bom-humor é dom dos deuses... e você passou na fila da dose umas 10 x... show! Gostei mesmo! :)

Pólen Radioativo disse...

kkkkk... Viu só?! Como diz minha mãe: Cabeça que não pensa... (tava com preguiça de pensar num jeito menos cafajeste de se livrar do casório) Agora, haja padecimento pra pagar a tal da pensão. kkkkkkk...

Beijos, querido!!!

A Mina do cara! disse...

Maria Rita, concordo com você. Que graça teria se não fossem as merdas que fazemos?
um beijo

__

Amanda Luna, um beijo.

__

Long, eu também não sei viu...
beijo

__

Franscisco, valeu! e Valeu pela dica do blog.
abraço

__

Polen, eu jurava que você é de Floripa. Agora somos amigos no face também.
beijo

___

E você aí, já sabe que A Mina do Cara te ama, não sabe? Pois é, demonstre seu amor A Mina do Cara - aqui e agora!

♥cinderela♥ disse...

rs gostei daqui te seguindo
bjs meus!!!

Alline disse...

Assim se constrói a história das pessoas: entre outras coisas, das merdas do dia a dia.

Beeeeeeeeijo pra ti =)

Valéria Sorohan disse...

Essa merda vai te custar caro!

BeijooO*

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

namorei um tempão até que um dia a menina disse:
se não me deixar ir, te dou corno
não dexei, o que aconteceu?
ps-nas fotos q ilustram o blog é vc?

Mgomes - Santa Cruz disse...

Mina: Merda é merda mas se não gostamos da moça não vamos fazer filho e depois deixar ela para os outros com o nosso filho, mas merda é mesmo assim.
Um abraço
Santa Cruz

A Mina do cara! disse...

Cinderela, valeu. vou lá te conhecer...
beijos

__

Alline, é isso mesmo, são as merdas que nos fazem olhar pras coisas de verdade...
beijos

__

Valéria, e muito caro mesmo...
beijos

__

Non Je, sou eu mesmo.
abraço

__

MGomes, não é tão simples assim, meu amigo.
abraço

__

E pra você eu digo duas coisas: 1) A Mina te Ama!; 2) eu também te amo!