20 de mar de 2011

Olha a merda que deu (6)

Há tempos eu queria sair com aquela mulher, e sabia que justo agora tinha terminado um namoro demorado. Sabia que era fiel, honesta, gente boa, perfumada, gentil, educada. Era tudo o que eu queria.

Não sabia o que esperar dela. Pensei em convidá-la para uma pizza e um vinho, mas logo de cara percebi que não seria fácil assim um jantar romântico. Isso poderia ter um efeito negativo, e ela lembrar do ex a todo instante.

Enfim consegui sair com ela. Fomos a uma festa de uma amiga dela. Levei um amigo e pedi para ela levar uma amiga também, para fazer par para este amigo. Ele é gente boa, tranquilo; o único problema é que o cara é o boa pinta da turma, e eu fiquei com medo dele roubar minha gata.

A amiga da minha gata era linda, até mais que ela. Meu amigo se deu bem. Só que isso não me importa, eu estava com a gata num canto e ele com a outra no canto deles, a sós.

Conversamos bastante e logo de cara eu vi que a gata era realmente muito legal. O problema é que no meio da conversa eu toquei num assunto que não devia e ela começou a falar do antigo namorado. E papo vai, papo vem, ela falava dele. Às vezes fazia cara de choro ao lembrar do camarada.

Ficamos em silêncio um pouco, aproveitei para beijá-la. Não foi um beijo muito gostoso, mas mesmo assim eu gostava de estar ali acompanhado dela. Fazia tempo que queria isso. Ficamos um tempo no canto conversando, beijando, bebendo. Ela bebia mais do que eu.

De repente aparece o ex dela acompanhado de uma mulher maravilhosa. Pensei, menos mal, pelo menos o cara não tá sozinho e não vai me avacalhar. Como não avacalhou. Pelo menos ele.

A gata começou a ficar puta com a situação, foi lá tirar satisfação, saber o que ele fazia ali, e o pior, começou a provocá-lo, a xingar a mulher que estava com ele. Eu não sabia o que fazer, não sabia onde me esconder, pra falar a verdade. Eu já estava na porta indo embora quando vi a minha gata dando tapas e jogando cerveja no vestido daquela mulher maravilhosa. Chamei meu amigo da porta, ele não quis deixar a mulher sozinha e ficou. Tive que ir embora sozinho.

Depois que entendi por que o cara não quer mais saber dessa mulher. E nem eu! Tô correndo de mulher barraqueira. A filha da puta passou a noite inteira xingando o ex, quando ele aparece com uma mulher mais bonita, mais magra, mais tudo do que ela, ela faz isso.

Tô fora.

11 comentários:

Alline disse...

Bem que fez ele, bem que fez você.

Bom seria se a vida fosse mais simples - mais riso, mais compreensão, mais sexo e menos barraco. ;)

Beeeeeeeijo

Pólen Radioativo disse...

Mulher barraqueira é dose mesmo. Mas, dá um desconto para a moça. Ela ainda estava sofrendo pela perda de seu amor. E é melhor protagonizar um barraco do que ter um infarto de tanto ódio do ex e da mulher linda e magra que ele arrumou. rsrs

Muitos beijos, querido!!!

Long Haired Lady disse...

por essa e outras vejo que sou uma lady.
um dia a "namorada" do meu maridão apareceu num de seus shows, e eu , maravilhosa, ainda deixei que eles conversassem.
mas como toda mulher confesso que foi mais pelo gosto de vê-la levar um fora diante de meus olhos…


tá, eu sei, eu devia ter deixado o cara, mas a historia é muito complicada…rs

Anônimo disse...

Corre que é Bomba!!!

Valéria Sorohan disse...

Não te condeno. Se eu fosse homem jamais me interessaria por mulher que se humilha.

BeijooO*

caÊ disse...

nice one man !!!

barraco é fogo , e não nos faz bem se queimar !

abrx !

Luna Sanchez disse...

Lascou! =\

Um beijo.

Um brasileiro disse...

Olá. Tuod blz? Estive por aqui. Muito legal e interessante. Apareça por la. Abraços.

Rossana disse...

Credooo!!!
Do que vc se livrou hein cara!
;)

Emoções disse...

Para ser poeta basta ser sincero, escrever o que sente, amar o que realmente deseja, e esquecer a beleza superficial das palavras que formam a poesia, pois se verdadeiro é o seu sentimento, puro será seu coração...e lindas serão suas palavras!

A Mina do cara! disse...

Pois é galera, pelo visto ninguém gosta de barraco, não é mesmo?

Tinha mesmo que fazer parte 'da merda que deu...'

lembre-se de uma coisa, A Mina do Cara te ama!