27 de abr de 2014

O mundo é contra nós?

Minha dúvida se o mundo é contra nós não é à toa. Quem nunca sentiu isso, de o mundo todo estar em sentido contrário ao seu? Aposto que você já sentiu.

A resposta para minha pergunta vem em seguida: a vida está a nosso favor. Disso eu tenho certeza. E por fatos que comprovam a minha idiota teoria de que o mundo está contra nós.

Era o velório do meu tio mais velho, em 2011. Estávamos todos lá, inclusive minha avó com seus 99 anos. Ela estava velando seu primogênito aos 99 anos - impossível pra gente imaginar isso. Enfim, eu vivia uma crise em relação à fé, achava absurdo as pessoas acreditarem em Deus como supremo, como criador de tudo e detentor dos nossos destinos. Eu não conseguia enxergar fé, não conseguia imaginar que uma oração seria capaz de dar paz, tranquilidade, esperança.

Quando o caixão foi fechar, todos nós demos as mãos para rezar um Pai Nosso. Eu fiquei de frente para minha avó. (Nem preciso dizer que ela era muito religiosa, preciso?) Durante a oração, simplesmente minha garganta travou e eu não conseguia pronunciar uma única palavra, nem em pensamento eu conseguia rezar. Minha avó me olhava firme, eu olhava para ela, e eu não conseguia pronunciar uma única palavra. O olhar dela penetrava meus olhos - tenho a imagem em minha mente nesse momento - e eu não conseguia rezar. A única reação que consegui foi fazer o sinal da cruz quando terminaram de rezar.

Eu julguei Deus pela morte do meu tio, achava um absurdo minha avó passar por mais uma morte na família, logo ela, uma pessoa tão boa, tão devota, enterrar seu filho aos 99 anos. Parecia que a vida me ensinava ali, no cemitério, mais uma lição. Uma lição que um jovem trouxa - como a maioria dos jovens - fazia de tudo para não aprender.

E quando eu achava que a lição do dia tinha terminado veio mais uma. Estávamos na avenida, logo que abriu o sinal, e veio um motoqueiro cortando todo mundo, inclusive eu. Esse cara estava sem capacete, de chinelo, e cortou todos os carros da direita para a esquerda, até bater no meio fio, subir na calçada de pedras e bater a cabeça na mureta. Foi impressionante, eu fiquei chocado.

Eu saía do cemitério criticando Deus por fazer minha avó sofrer mais uma perda, julgando Deus e o mundo, e bem na minha frente passa um camarada de moto e seu destino deve ter terminado ali, naquele momento que eu refletia. Naquele momento eu pensei, realmente, eu sou um idiota, um ser pequeno, uma simples pessoa que quer ser grande antes de crescer.


A vida nos ensina muito. Muitas e muitas vezes alguma coisa acontece que eu penso, pronto, estou ferrado. E logo depois vem a vida e mostra que há uma luz que eu ainda não havia visto. Nesses momentos é que percebemos como somos pequenos.

É como pequenos fantasmas que afloram nossa mente, pequenos mesmo, mas nós os transformamos em gigantes, muito maiores do que nós, talvez do tamanho que não sejamos capazes de passar por cima. Probleminhas que poderíamos passar por cima se não fosse o orgulho, o rancor, o ódio, o ressentimento, a raiva, a mágoa, enfim, coisinhas que nós cultivamos.

Por que não aprendemos a passar por cima do nosso orgulho, do nosso rancor, ao invés de aprendermos, desde cedo, a cultivar a vaidade, a esperar a aprovação dos outros? Como podemos deixar a mágoa, o ressentimento, de lado e passar a viver com aquilo que somos de verdade?

Às vezes penso que o mundo está contra nós. Mas às vezes eu tenho certeza que a vida está a meu favor. Agora, basta que eu deixe de ser burro e aprenda as lições - antes que as lições venham como tapas, para eu aprender da marra.

Muitas lições eu aprendi lendo os grandes autores. Muitas frases que eu leio e penso: é isso aí, entendi. Mas só depois de muito tempo eu tenho o aprendizado verdadeiro. E então eu descubro que é a vida quem escolhe quando eu devo aprender de verdade.

Leio que a verdadeira força está na capacidade de superação, de contra-atacar, de reagir. Então, se um fantasma vem assombrar sua mente com pensamentos ruins, precisa ter força para colocá-lo para fora, assombrá-lo com pensamentos bons. É difícil, eu sei e você sabe. Mas a graça da vida está nisso, em fazer você e eu termos forças para contra-atacar.

O mundo está contra? A vida está contra? E se eu mudar as perguntas?

Eu estou disposto a enfrentar os problemas? Estou disposto a enfrentar os fantasmas? Estou afim de que o mundo gire para o lado que estou girando?

Eu cansei de nadar contra a maré. A vida não é contra nós. A vida é minha, a vida é nossa. Vamos tocá-la para frente? Vamos deixar os fantasmas adormecidos e acreditar que eles não são maiores do que nós?

Pronto? Então aí vamos nós...



Nenhum comentário: