21 de out de 2013

Olha a merda que deu (18)

Na verdade, eu não acrescento nada na vida dela, não tem motivo ela me querer em casa. As únicas coisas que faço, e não é todo dia, é lavar a louça, varrer, e de vez em quando passar o pano na casa. O banheiro lavo contrariado.

Ela chegou e disse, vai passar a semana na casa do Peterson, não é lá que você gosta de ficar? Então, vai...

Na mesma hora arrumei minhas coisas, três camisas, quatro cuecas, três pares de meia, uma calça, o violão e fui passar sete dias no exílio. Sete dias de férias. 

E você sabe de uma coisa, até que é bom tirar férias da esposa. Tem hora que frita. 

O problema é um momento como esse, estou aqui, chapado, com o violão, um papel amassado e um lápis quase sem ponta. Já escrevi um poema pra ela e agora estou tentando musicar. 

Você vai me dar razão, escuta só. Um dia eu estava lavando a louça depois do almoço. Ela olhando e eu lavando. Ela decidiu tomar sorvete. Tudo bem, ela pegou o pote e serviu sorvete. E eu lavando a louça. Ela serviu para ela e para mim. 

Faltava apenas uma panela quando ela despejou na pia o pote e a colher. Tudo bem, lavei. Ao terminar de lavar a louça, viro para pegar sorvete e o que vejo? 

Ela tomando o meu sorvete e falando, com a boca meio cheia, uai amor, você demorou... 


Eu não arrumei briga e nem nada, apenas peguei e tomei o sorvete. Agora, se faço isso come ela é divórcio na certa. 

Eu sou bem tranquilo, não brigo à toa. Acho que nem ela, na real. Eu já nem sei mais de nada, tô muito doido pra pensar essas coisas. Amanhã acaba minhas cuecas limpas. E aí?

Será que volto e peço desculpas, mesmo  não sendo culpado de nada.

O pior não é isso. Eu podia estar lá deitado com ela mas não, estou aqui nesse colchão no frio, um frio danado, ouvindo o ronco do Peter. 

Agora não é hora de pensar nisso, tenho que me concentrar no caso das cuecas. Só uma cueca limpa e mais três dias.

Nenhum comentário: