4 de abr de 2011

A medida da paixão

"Quem de dentro de si não sai / vai morrer sem amar ninguém"
(Vinicius de Moraes)


Tem hora que eu gostaria de soltar as palavras aqui e mandar as desilusões amorosas, as dúvidas sobre se falo ou não, se faço ou não. Às vezes eu penso em deixar de lado umas histórias prontas e falar sobre relacionamento – amoroso, amizade, solidão. Ontem dormi ouvindo o disco que mais gosto – Vinicius e Toquinho, O poeta e o violão. Juntei ao Poetinha o título de uma música do Lenine, coloquei aqui e vamos ver se abro meu coração sem medo de ser feliz.


Conversando com uma amiga eu fiquei com isso na cabeça, aquela cócega que coçamos tanto que além de uma ferida fica o vício de coçar. E conversando com um amigo fica claro isso, já que sua fala foi: não consigo tirá-la da minha cabeça. E nem eu, respondi a ele. Ele teve uma história de amor mal terminada – para ela, pelo visto, terminou; para ele ainda não.

Conversando sobre isso no carnaval, eu disse uma frase e ele guardou e depois disse: é como você disse, a mulher não acredita que você terminou com ela de doidão, de onda. E isso acontece mesmo, fica pensando sobre várias coisas do relacionamento, coloca na balança as coisas ruins que a pessoa fez, junta com tudo de bom que você fez, e no fim pensa, vou terminar. Num ato de coragem jamais vista, depois de um amor bem gostoso, vira e começa a ladainha.

Estava na cachoeira e surgiu o assunto amor-relacionamento. E conversa vai e conversa vem, chegamos a um ponto muito interessante, o que me fez pensar o resto do fim de semana para escrever esta crônica. Ao terminar o namoro eu pensei: quero ficar sozinho, não quero relacionamento por um bom tempo. Eu não deixei de acreditar no amor, de achar que é possível amar alguém, e também não pensei que jamais namoraria de novo. Uma hora volto a namorar, pelo menos minha mãe cobra isso sempre.

Não tenho interesse em colocar como meta um relacionamento, tampouco iniciar um namoro rápido demais. Leva tempo para conhecer, pegar intimidade, poder falar sobre tudo – aqui entra um problema para mim, às vezes eu falo sem pensar, e aí já viu. E também para querer namorar. E o mesmo vale para a outra pessoa. Pode não ser agradável sair e estar com a cabeça em outro lugar – ou outra pessoa. Gostoso é sair com os dois no mesmo lugar, querendo ir ao mesmo lugar, desejando a companhia. E se o assunto for alegre, sincero, nada melhor.

Tem gente que segura, não se entrega à paixão. Outras se jogam, não conseguem ficar só. Uns namoram sem nem gostar; e ainda se chamam por amor. Eu fiquei só, agarrei com unhas e dentes meu livro, cumpri a obrigação. Meu segundo livro está no caminho. Passei em umas provas e outras não. Trabalhei um bocado também. Li bastante. E esse tempo todo eu queria uma pessoa para amar. Sinto falta de dizer, eu te amo. Descobri que não escolhemos quem amar.

Algo aponta para o amor – o quê?






21 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Não se pode dominar o coração. O sentimento surge quando menos se espera.

BeijooO*

Leandro Santos disse...

tudo que é pra vir, virá, nada melhor que um tempo a sós, pra se autoconhecer.

to seguindo^~

Abçs

Anônimo disse...

"Sinto falta de dizer, eu te amo"
Sente falta de dizer e está dizendo? Ou simplesmente sente falta de dizer "eu te amo"?

BeijoO!

Anônimo disse...

Isso conheço muito bem, muito bem mesmo.
tem que se perdoar!

abrass

Walkyria Rennó Suleiman disse...

ah, sei nào, quanto mais o tempo passa, menos sei.
Mas olha, agora tô de nvo em dúvida se vc é macho ou fêmea, ou ambos...ehhehe

Sinto que perDo muito de não te ler todo dia.

Luna Sanchez disse...

A gente pensa que tem esse controle, que pode decidir quando vai começar a gostar de alguém e quando quer se manter afastado disso tudo...Ledo engano, moço, ledo engano.

Um beijo.

Nathy disse...

o problema todo é que somos egoístas com nós mesmos! Já começamos um relacionamento pensando no que a pessoa vai te dar em troca...

mas o amor é um sentimento tão do bem, porque não amar? sem controle!
dói mas é bom!rs

A Mina do cara! disse...

Valéria, é isso mesmo, e nem sabemos como, de onde, quando surge o amor.

um beijo

__

Leandro, é isso mesmo.
fui lá ler o que escreve também.

abraço

__

Anônimo 1, para ser mais claro: sinto falta de dizer olhando nos olhos, sentindo amor. Escrever eu te amo numa crônica não quer dizer que eu disse isso.

certo?

BeijoO (igual o seu)

__

Anônimo 2 (ninho), é isso mesmo meu amigo. Você está na crônica e aqui nos comentários. Que beleza!

abração

__

Walkyria, se não fosse deixar uma leitora com ciume eu diria pode descobrir por conta própria se sou macho ou fêmea... Pô, eu sou o cara por trás da Mina do Cara.

um beijo

__

Lunática, nós pensamos assim então... só não conseguimos nos enteder quanto aos calçados, não? Rs.

Beijos pro cê guria.


___

E você que está aí, pensando se comenta ou não, eu digo de antemão: A Mina do Cara te ama!

A Mina do cara! disse...

Nathy, eu penso que nós evitamos iniciar um namoro com medo de sofrer a desilusão, com receio de entregar-se a outra pessoa.

O que descobri é que a paixão não tem medida, é do tamanho que imaginamos a pessoa amada.

um beijo e volte sempre!

___

E você que está aí, pensando se comenta ou não, eu digo de antemão: A Mina do Cara te ama!

Camila Lourenço disse...

Minha mãe me cobra a mesma coisa todos os dias. Já nem respondo mais. Dou um sorrisinho amarelo e por dentro falo: vai sonhando mãe.

Enfim...o que grita pelo amor? aquela máxima certeira que diz: "é impossivel ser feliz sozinho!"

A gente vive falando que não. Vive em festas e sorrisos, mas depois de uma noitada é nossa cama que nos espera lá,solitária e fria. E que vá a puta que pariu as que dizem que to mentindo. Myass. Eu tô cansada de falsas verdades. É verdade. Tem algo na gente que grita por falta de alguém pra confiar, pra contar como foi o dia, pra sair pra tomar um sorvete ou encher a cara, pra sair de mãos dadas e ter amigos em comum(nem lembro qnt tempo faz q n faço isso), pra ficar exausto de tanto fazer amor ou só dormir abraçados sentindo o coração um do outro no silêncio.

Ah, eu poderia ficar a noite inteira aqui falando o que grita, mas vc já sabe. Eu já sei. É esse bendito aqui chamado coração.

Beijo!

Cristina Maria disse...

Você é um romântico.

A Mina do cara! disse...

Camila, também não quanto tempo faz que não saio assim, como você disse. As mulheres são estranhas, mas um dia eu entendo-as, ah entendo...

um beijo

___

Cris, sou um romântico incorrigível.

beijos pra Foz!

___

E você aí, tá lendo e pensando o quê? Diz pra mim. Eu digo uma coisa, A Mina do Cara te ama!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

estou lendo uma biografia de vinicius se puder leia
Ps- estou de bom humor...

A Mina do cara! disse...

Non je, legal a dica!

abraço

___

e pra você aí que tem vontade mas não comenta: um beijo e um abraço!
A Mina do Cara te ama!

Anônimo disse...

É....no fim das contas, tudo se resume ao amor. Todos querem alguém.
Trabalho, carreira, festas...tudo fica de lado, sempre foi assim e sempre será!

Anônimo disse...

Amor, amo tanto que chego a pensar que só eu amo e ninguém me ama, será que me amo??? Amei, amo e vou amar sempre, não espero que ela me ame, mais que sinta e que realmente saiba que a amo...

A Mina do cara! disse...

Anônimo 1, e é mesmo... talvez seja isso.

Um beijo ou um abraço?

___

Anônimo 2, que bonito o que escreveu. Eu gosto muito de ler textos românticos, poesia romântica também. voce gosta?

um abraço ou um beijo?

___

E tu, cara de tatu? Sabias que A Mina do Cara te ama? Pois é, ela - A Mina do Cara - te ama demais da conta, sô.

Cáh disse...

Olá Cara!
eu só vim aqui pq vc foi até a minha casa bater na porta e me cobrar pq não vim ler a tua crônica de amor! E ainda disse na cara de pau que não estava cobrando e só comentando, tsc tsc tsc... rs

brincadeira rapaz... não vim antes por descuido, mas sempre venho, gosto daqui, vc bem sabe!

As coisas que vc disse, sendo verdade ou conto, são bem sensatas, mas o amor beira a loucura mesmo não é? Então, eu sempre estive no meio do caminho, com o pavor de um relacionamento sem entrega e na entrega louca com um cara sem existir nem mesmo o relacionamento, vai saber!

Gostei do teu ponto de vista sobre estas coisas, a gente sempre sabe quando está pronto pra namorar denovo, e de novo, e de novo... Não tem receita na verdade, acontece sem que se queira ou se espere.

Bom texto, ótimo blog.

Um beijo!

A Mina do cara! disse...

Cáh, eu pensei isso na hora que entrei em seu blog: pô, ela que ama esse tanto quando eu escrevo uma crônica de amor não lê.

A ironia desse título é justamente o entregar-se ou não. A gente apaixona e fala: desta vez não me entrego, não vou cometer os mesmos erros. E o que fazemos?

Não é um conto, é uma crônica, e as crônicas geralmente não são fictícias. como meu amigo disse: não dá pra saber quando você fala a verdade ou mentira, vá se foder!
Rs...

beijos pro cê.


_______

E se você quer saber o que falei pra ela, vá ao blog da Cáh e fique por dentro na nossa conversa.

Agora mais do que nunca A Mina do Cara te ama!

Anônimo disse...

"E não é a dor que me entristece, é não ter uma saída, nem limite pra paixão!"

Tudo muito bom por aqui!

Fazia tempo que não passava...

Beijos!

A Mina do cara! disse...

Anônimo, vê se não fica tanto tempo assim sem aparecer por aqui, viu.
beijos