7 de ago de 2010

Em busca do amor

Calma, não estou desesperado atrás de um amor. Busco apenas um entendimento para o que vejo. E pelo que parece estamos sempre em busca de um amor, em busca da aprovação alheia.

Por mais que não sentimos vontade de dizer aos outros o que fazemos, onde vamos e com quem vamos, nós fazemos. É claro que tem gente que faz de sacanagem, para provocar mesmo. Não sou assim, prefiro ficar no meu canto, escondido. O problema é que eu escrevo neste blog, então é possível que alguém  me conheça e saiba o que passa comigo, mas isso não tem problema também, afinal, somos amigo, não?

Estávamos aqui em casa assistindo a um filme, e de repente o pessoal foi. Ficamos uma vizinha e eu. Ela ficou inquieta e começou a falar, "vou embora também, está tarde". Continuei olhando para a tevê e ela falando, "acho que também vou nessa". E então começamos a falar de outras coisas, e no meio da conversa eu disse, "você tem medo de ficar aqui sozinha comigo?, por que não fica quieta?"

Eu sei que os homens dirão, "se fosse eu tava comendo, e não falando". E eu respondo, "eu também". Nós não vamos pra cama. Eu bem que tentei, mas como ela não quis, eu falo pra ela que eu não tenho vontade, que passou...

Nossa conversa não estava na sacanagem. Ela virou e disse, "assume que você me ama, sô". Eu respondi, "eu te amo? Mas eu não te amo. Eu gosto de você". Ela fez uma carinha linda. Perguntou se deveria cortar o cabelo, mas é claro que minha resposta de nada serviria.

A incansável disse, depois de um tempinho, "anda, assume que me ama, sô. É amor de amizade, não é de namorado." E eu ingênuo respondi, "é claro que é amor de amizade que estou pensando. Lili, eu gosto de você pra caralho."

Foi a primeira vez que fomos para a cama.

10 comentários:

Gabi Rodrigues ~* disse...

Hummm, que caliente! KKKK
Adorei o post, aliás, adoro o blog!
Bjos;**

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Interessante! As mulheres querem a investida pra depois dizerem que fomos nós, que somos os culpados - ficar ali com você, era tudo o que ela queria... mas a iniciativa tinha de ser sua...

Grafite disse...

"Por mais que não sentimos vontade de dizer aos outros o que fazemos, onde vamos e com quem vamos, nós fazemos."

adorei...

beiijo

Valéria Sorohan disse...

Na encarnação posterior a esta entrarei discretamente na fila das corujas ou guaxinins.

Humanos são seres complicados demais. Desde quando precisa de "amor de amizade" ou "de namoro" para uma transa?...rs

BeijooO

Sarah Slowaska disse...

Pô, que crónica linda! Adorei e ri muito disso aqui ó:

"Perguntou se deveria cortar o cabelo, mas é claro que minha resposta de nada serviria."

Hahahaha! É que não serviria mesmo! Sei bem como é!

Beijos querida e obrigada pela visita **

Cristina Maria disse...

E...depois?

MANUPINK disse...

IMAGINAÇÃO FÉRTIL É O Q INTERESSA!!!!CURTI SEU BLOG, BJOKITAS!JÁ SOU SUA SEGUI!VC É O CARA!RSRS!

Mgomes - Santa Cruz disse...

Oi lindo texto, mas eu ia logo para a cama era o que ela queria para transar não é preciso amor de amizade ou de namorado.
Abraços
Santa Cruz

Lis disse...

Oxiii adorei aqui viu??


beijinhos e ótima crônica!! ;*

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

ter algum que já nos entenda, já é por demais algo de nos ter em paz de espírito.
Ps-Obrigado pela leitura do Mais uma dose