11 de ago de 2010

Crônica de aniversário


Hoje é o aniversário do meu amigo e (ex-) professor Ildo Carbonera. Nos conhecemos em Foz do Iguaçu, numa festa de formatura da pianista e amiga Bruna. Eu havia acabado de voltar a morar em Foz – morava em Floripa – e estava entrando para a Unioeste. Ali fiquei sabendo que seria meu professor.

Logo de início, observando as conversas de mesa, eu pensei, esse cara gosta do Machado de Assis. E não deu outra. O Ildo tem um livro sobre a obra do Machado de Assis, A emboscada machadiana. E ali na mesa conversamos um pouco mais.
Na universidade nosso contato foi maior. Tínhamos aula na quinta-feira. Ele não é, não era, e jamais será um professor didático. O lema da aula era assim: se você não leu cale a boca! E isso era repetido e lembrado sempre aos alunos. “Pra que vem pra minha aula se você não leu? Vai conversar sobre o quê?”
Poeta, cronista, romancista, ensaísta, este é o Ildo Carbonera.  Em um de nossos e-mails, depois de mandar para ele várias de minhas crônicas, ele me disse: “Já pensaste em escrever um livro só com aquele negócio de "O senhor é o Rubem Fonseca"?, criando as mais diversas situações e insinuações, em perguntas e respostas; ficaria supimpa!”. Veio daí o que será um dia Afinal, quem é esse tal Rubem Fonseca? 
Com ele aprendi a ler e decifrar Machado, Lima Barreto, Manuel Bandeira, entre tantos nomes da nossa literatura. E nós temos em comum o gosto pelo grande Raulzito. Ambos gostamos de blues.
Um abraço ao Ildo Carbonera.

5 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Putz, que me deu vontade de conhece-lo.
Pessoas como o seu professor, cheia de personalidade e cultura, quando entra em nossas vidas, é como se fosse um presente de Deus.

BeijooOs

Mgomes - Santa Cruz disse...

Oi Mina do Cara: Não era mau esse professor, eu tive um que no Primeiro dia das aulas na apresentação disse Não sou doutor nem Professor sou Alexandre, quem me tratar por Doutor ou professor eu não respondo, depois disse exame final era por escrito, quem tivesse deficuldade em escrever fazio exame escrito e oral, quem tirasse menos de 12 valores tinha que fazer exame oral e que tivesse a nota maxima tinha que fazer exame oral para provar que sabia no disse e a partir de agora tenho dito e não admito dircursão sobre o assunto no dia seguinte fazer passar um folha com o nome de cada um para nós indicar que tipo de exame queriamos.
Abraços
Santa Cruz

Sir DarkHeart disse...

meo teos. todo mundo conhece o ildo carbonera hIUheuiheuiheee

Cacheada disse...

ooh, sempre tem aqueles professores que a gente para, olha, chega em ksa pensa e diz...
Que fila da puta sábio! e a gente defende tudo que ele diz com a vida, assisti o filme que ele indica e tenta ser igual nos bons aspectos, e até nos maus...
pois o mau de nós é que nos destaca dos outros!
;)

Pólen Radioativo disse...

Salve Machado e os encontros que a nossa literatura proporciona!!!!

Parabéns atrasado para o prof. Ildo.

E adorei a Mina do Cara!!!

Abraços...