25 de mar de 2010

Mediocridade, aí vou eu!


“Às vezes me pego numa melancolia típica de poetas e escritores.”

Isso garantiria algum talento? Claro que não. E não garante nada, na verdade. Essa melancolia que passou por um período muito curto – uns 15 minutos talvez – voltou em dobro. E por motivos diversos.

Ambos sentimentais. Sentimentos diferentes, mas que pegam e derrubam.

Parece que o sonho tem mesmo que ficar de lado, guardado e jamais esquecido, mas de lado. Às lembranças e sentimentos são permitidas idas e voltas, claro, mas o sonho fica e ficará parado aqui do lado, pelo que parece.

Viver de sonhos ninguém vive, e quem tenta vive de pesadelo.

Um pouco de melancolia não faz mal a ninguém. Às vezes me pego numa melancolia típica de poetas e escritores.

Agora não tenho a quem recorrer, e nem a quê. Parece estranho, uma vez que sempre fiz amizade fácil, só que não é tão simples assim.

Um ser solitário (por opção?) em meio a tanta gente, assim me classifico neste momento. Logo mais chegará algum amigo, falaremos um ou dois minutos e voltarei a pensar nesta pequena melancolia.

Eu tinha apenas um motivo, e apareceu outro, que foi pior. Como pode, já estava tudo bonito em meu imaginário, e de repente cai por terra. Parece o despertador logo cedo, lembrando que é mais um dia.

Vou me esconder no Berço. Lá me refugio ao lado dos livros, dos discos, do violão. Pode ser que este refúgio não seja bom, que me traga ainda mais melancolia e lembranças.

Mas o que posso fazer? Eu tenho o caminho da mediocridade como tenho o caminho dos sonhos.

Deixei de lado os sonhos, então meu caminho é o da mediocridade. Quem sabe assim deixo alguns menos melancólicos. Já que esta pode ser minha real vontade. Fazer a vontade alheia.
---------------------------------------
Interessante que logo depois que escrevi esta crônica e comecei a treinar o krav-magá meu amigo chegou e fomos ao boteco beber um refrigerante cada um. E então me lembrei de um poeminha que fiz um dia, aqui em casa:   "A vida é assim / você está triste / vê alguém que gosta / e fica bem."

10 comentários:

Canto da Boca disse...

Então, vida é simples assim, simples como o nascer do sol, ou quando chega alguém e a gente fica bem.
Mas eu adoro a melancolia, tanto quanto adoro o outono...

;)

Sylvio de Alencar. disse...

Meus sonhos fazem parte de minha vida, se misturam, um ao outro. Nem sei mais quem é quem. Da mediocridade fujo, mas não deveria, também faz parte de nós este sentimento (tudo é sentimento - mais ou menos).
Tento conviver com todo eu, uma miscelânia una, e única; mas comum a todos (olha o mistério).
Muito bom participar do movimento da vida: nele seu amigo chegou, levando vc a outros ares e a novos acontecimentos. É isso que vale: sua disponibilidade ao que é melhor, para vc também.

Sylvio de Alencar. disse...

Não se engane: a 'vontade alheia' não é a sua, nem a minha, a dele, a dela...
'Vontade alheia' não tem dono, inexiste.
Seguí-la é perder-se, batata!!

Aline Ahmad disse...

Achei o blog criativo e misterioso.
Interessante!

Foi bom receber a visita no meu, assim pude conhecer seu canto.

Beijos de luz,

Aline***

Prussiano disse...

Hmmm.... entre a mediocridade e o sonho...

...eu tomaria o 'caminho do meio'...
pois entre um e outro... sempre há algo que ainda não pensamos!

Descubra o seu !

Abrasss...

Vou seguindo!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

calro que tristeza e melancolia não são coisas de escritores, são sentimentos de todos,mas vc já tem algo de bom, escreve como o teu tempo, o nosso tempo de hoje é...sem mascaras ou forças ocultas da tristeza nas mãos da pena
beijos

continuando assim... disse...

Convite
O livro "Continuando assim..." foi maltratado...

Resolvi por isso, e porque tanta gente não encontra o livro onde deveria estar (nas livrarias), recontar a história
Lá no …. Continuando assim…
www.continuandoassim.blogspot.com

O livro reescrito não está igual (nem poderia!) ao que foi editado.
Obrigada a todos os que vão seguindo (pois só assim vale a pena).
Um obrigada especial a quem ainda não conhece e chega de novo

Uma reflexão em relação a todo este assunto entre livros, autores e editoras, e um conselho, se me é permitido:

--- quando vos pedirem dinheiro para editar as vossas palavras, simplesmente digam que não ---
BJ
Teresa

Rafael Tadeu de Matos Ribeiro disse...

Olá,
Parabéns pelo blog. Conheça os meus blogs:
www.imperativocientifico.blogspot.com
(divulgação científica) e
www.petalasesepalas.blogspot.com

Abraço
Rafael

Sylvio de Alencar. disse...

Edney Santana
'...escreve como o teu tempo, o nosso tempo de hoje é...sem mascaras ou forças ocultas da tristeza nas mãos da pena.'

Menina disse...

Parece que estou me viciando no seu blog. =X
Ah, eu falei aquilo brincando, por causa do texto. Sem stress.

Obrigada pela visita! Volte sempre que quiser!!

Beijitos!