1 de fev de 2010

Vamos falar de futebol

Era para ser apenas um jogo para entretenimento. Mas não é.
Vamos falar de futebol, mas não dentro de campo. Os bastidores da bola. Na verdade seria os bastidores da grana.
As notícias deste início de ano estão ainda sobre as negociações, e por isso mesmo vamos falar sobre isso.
Robinho de volta ao Santos. Não sei se os santistas se lembram, mas o mesmo Robinho fez um papelão para sair do time da baixada. Todos os dias aparecia sua foto no Globo Esporte sorrinho e com a chamada de que ele não queria mais jogar pelo Santos, e sim pelo Real Madri. Pois bem, depois de fazer isso com o Santos fez o mesmo no time catalão. Hoje quem joga por lá é Kaká entre outros tantos. E não é que fez o mesmo para sair do ex-clube inglês. E agora volta ao Santos como se nada tivesse acontecido... E o pior é que os ingressos para sua apresentação estão esgotados.
Outro craque em fazer negociatas é o Kléber, que joga no Cruzeiro (até agora). Quando saiu do Palmeiras para vir a BH falou em alto e bom som que queria jogar em time grande. Só que ele não sabia que o Cruzeiro é um time vitorioso, só não tem em seu currículo o título Mundial Interclubes. No ano passado, na véspera do jogo Cruzeiro X Palmeiras, Kléber foi até a concentração do rival e passou a tarde com seus amigos. Resultado: até hoje os cruzeirenses tem birra dele. E pra piorar: está de negociatas com times europeus e jurando amor pelo time celeste ao mesmo tempo.
Não tem como falar de outros jogadores aqui, pois falaria de muitos.
A culpa disso pode não ser deles, e sim de seus empresários. O que parece mais claro. A ganância empresarial deve ser maior que a ignorância dos jogadores em relação a contratos e tudo o que eles não aprenderam na escola.
E para ilustrar um caso de jogador que merece destaque: Juninho Pernambucano.
O jogador demorou muito para ser convocado à seleção. E quando foi não teve o valor merecido.
Quando saiu do Vasco para o Lyon (França) foi a um time que nunca havia conquistado um título nacional. Foram oito consecutivos desde sua chegada até o fim da carreira profissional. Ao anunciar sua despedida, teve como honra a página do Lyon toda em dedicatória ao seu profionalismo e sua honra como pessoa, profissional, jogador de futebol.
São apenas três exemplos.
O que podemos tirar deles?
Lembre-se que é ano de Copa.

2 comentários:

Sylvio de Alencar. disse...

o que tiro deles é que vc entende e falabem, sobre futebol. Deveria falar mais, neófitos como eu apreciam.

Outra coisa que deduzi: vou torcer pelo Juninho Pernambucano!

Sylvio de Alencar. disse...

o que tiro deles é que vc entende e falabem, sobre futebol. Deveria falar mais, neófitos como eu apreciam.

Outra coisa que deduzi: vou torcer pelo Juninho Pernambucano!