8 de fev de 2013

Quem vai comprar essa briga?

Essa semana a seleção brasileira perdeu para a Inglaterra. Muitas reportagens foram realizadas e vários são os motivos da derrota - e inúmeras opções para reverter a situação da seleção foram ofertadas ao vivo, em mesas com grandes comentaristas. Além do papo de botequim.

O inglês Joey Barton critiou Neymar e virou assunto da semana. Muito bem, pelo menos ele critica Neymar. Já passou da hora da imprensa olhar para o Neymar não como um vendedor de produtos, e sim como atleta profissional. Se ele errou, que seja falado; se ele caiu na área, caiu. Se ele estiver mal, substitua. Se for bem, aplauda. Alguém poderia falar para ele usar máscara apenas nas noites de carnaval; ou para os comerciais. 

Ronaldinho Gaúcho é o jogador que todos querem que jogue aquela bola que já vimos. Infelizmente temos que aceitar, ele não mais jogará aquele futebol. Tem categoria, capacidade, e muito potencial. Mas a vida é outra, estamos em 2013 e aquele futebol que ele jogou ficou para os vídeos. Sou fã do futebol dele, gostaria muito que ele sentisse o peso de ser convocado, ser titular, camisa 10, e jogar como deve jogar um camisa 10 da seleção. E o principal, ser um camisa 10 digno da história da canarinho.

Vivemos hoje, no Brasil, uma sensação tão desagradável de sediar uma Copa. O que mais vemos é corrupção, safadeza. Estamos descrentes. Não será o futebol que fará de nós um povo alegre, saltitante nas passarelas de sorrisos. O brasileiro não merece a fama que tem. 

Alguém aí poderia escrever um livro assim: Futebol - empresários x empresas.

É uma pena que sediar uma Copa do Mundo seja isso que vemos. Isso acaba com o sonho de qualquer um.






Nenhum comentário: