11 de jun de 2012

As mulheres e as provas de amor

Estávamos no bem-bom, clima gostoso, um show de jazz e uma garrafa de vinho para trás. De repente ela fala: eu acho que você me ama menos do que eu te amo.

Meu primeiro pensamento foi parar, virar para o lado e dormir. Logo pensei, ela vai durar a dormir, acordar num mau humor desgraçado, me lembrar disso para sempre. Então continuei, estava muito gostoso para eu parar. Melhor gozarmos juntos.


Passei o dia seguinte pensando nisso, uma prova de amor para provar meu amor. Uma viagem. Um passeio. O dia todo à toa. Praça. Cinema. Motel. Casa. Oh! dúvida cruel.

Flores. É isso, flores. Tem um amigo que confessou nunca ter dado uma flor à namorada. E o pior, uma amiga reclamou jamais ter recebido flores. Ela vai gostar.

Chocolate. Flores com chocolate. Ela vai adorar. Ironicamente dirá que está de dieta - mas comerá tudo, conheço.

Poema. Flores, chocolate e poema. Quero ver se assim não provo que a amo muito, mais que ela me ama. Farei um poema bonito, rimado, sem palavras desconhecidas. Entregarei as flores, depois o chocolate, lerei o poema.

Tatuar seu nome. Exagerado. A primeira coisa que ela fará é me cornear. Já sei, vou perguntar à minha amiga lésbica como sua namorada a satisfaz.

Eu duvido que elas consigam, são duas TPMs por mês.

Uma prova de amor. Uma prova de amor... Vou dormir pensando nisso, uma prova de amor...

5 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Só o pensar tanto já é essa prova.

Marcella disse...

Flores, sempre!

Pólen Radioativo disse...

Bastava só um cheirinho e uma declaração espontânea no pé do ouvido. Poxa!!! Rsrsrsr

Beijinhos, querido!!!

2edoissao5 disse...

é só dizer sempre eu te amo, e ser de verdade!

Cristina Maria disse...

A mulher está sempre testando.