11 de mai de 2010

11de maio, Rubem Fonseca ou seleção?

Hoje é dia 11 de maio e todos aguardam apenas uma notícia: a convocação pra Copa. Certo? Vamos lá.

Onze de maio é o título de um conto presente em O Cobrador. Pelas minhas idéias este conto é uma espécie de "mostra da ideologia" do autor. Rubem Fonseca, para quem não sabe, nasceu hoje, onze de maio. E completa, ainda hoje, 85 anos de vida, e uns 50 de literatura - escrevendo.

Não sou superticioso e também não acredito muito nessas coisas, mas vamos por este caminho.

Nasci no dia onze do mês onze. Durante cinco anos e onze meses, namorei uma mulher que nasceu dia 29. Dois mais nove, onze. E olha o onze nos meses. Meu ídolo no futebol é o Romário, número onze. Ele marcou o número onze na seleção. Você se lembra de outro camisa onze que fez história na seleção? Quem será o onze nesta Copa?

Diz a numerologia que onze é "revelação, atemporalidade, originalidade, exotismo, inspiração, intuição, paranormalidade, idealismo, androginia, ausência de rótulos, extravagância, vanguarda, modernidade, fanatismo, loucura, iluminação, incompreensão, incomunicabilidade, antipatia, degradação, ar, fogo, nova era". 

De acordo com esses adjetivos vamos pensar qual combina com nosso aniversariante: atemporalidade, originalidade, inspiração, intuição, ausência de rótulos, extravagância, iluminação, incompreensão(?), incomunicabilidade. Por aí vai...

O "idealismo" combina também, mas essa palavra está marcada para um lado fanático da política, então é melhor deixar de lado. Desses adjetivos vamos falar apenas de um ou outro, pois outros podem ser facilmente compreendidos de acordo com nosso autor. "Ausência de rótulos" é o primeiro. 

Para alguns críticos, e jornalistas e resenhistas, Rubem Fonseca é um autor urbano, e sua literatura aborda crimes, fraudes, e inúmeras formas de burlar a lei. Concordo. E o escritor-histórico? São três livros que podemos dizer de literatura histórica, Agosto, O Selvagem da Ópera, O doente Molière. E fora esses três romances, temos inúmeros contos que comprovam a ausência de rótulos deste grande escritor. 

O camisa 10 do autor é Agosto, décimo livro lançado (fora a antologia de 1973). E o décimo primeiro livro é Romance Negro e outras histórias. Se eu falar que já havia lido Feliz Ano Novo e que ao ler A arte de andar nas ruas do RJ não tive outra coisa a fazer senão ler novamente, e ler outros contos e conhecer este fascinante escritor.

Agora está claro em minha cabeça, o conto que mais gosto de RF está no livro de número 11. E este livro ganhou o Jabuti. E se você conta a antologia como livro lançado, seu número onze será Agosto, um livro que nasceu clássico! 

Já falei e vou repetir aqui, não sou de mandingas, números, cartas, búzios, rezas, ou qualquer supertição do gênero, mas a coincidência é grande, não acha? E eu pensei que alguns jornais diriam algo sobre o escritor, por completar 85 anos e estar na ativa. (Basta pesquisar o que aconteceu ao sair da antiga editora e buscar uma nova. E também basta pesquisar quem gosta de seus livros.) 

Agora a pergunta que não quer calar: hoje, 11 de maio, Rubem Fonseca ou seleção? Nós tivemos o melhor time nos últimos 4 mundiais, e é claro que desses apenas dois fomos campeões, os outros não fomos graças a incompetência dos técnicos. E se neste, que temos os melhores jogadores do mundo, não formos campeões, não lembraremos que hoje, onze de maio, deixamos de dar os parabéns a um grande escritor e pensador do nosso país para esperarmos ansiosos a convocação de semi analfabetos que jogam futebol profissionalmente e que não levam tão a sério a questão da educação e leitura. E será que alguém ali sabe quem é esse tal Rubem Fonseca? - pense nisso lembrando que mal cantam o hino nacional.

Qual o palpite para o jogo do bicho?
_______________________________________

PS: crônica que provavelmente estará presente no meu livro Afinal, quem é esse tal Rubem Fonseca?.
PS2: no meu relógio são 11h.
PS3: escrito também no Portal Literal.
PS4: esqueci de dizer que minha musa, cachorra LARA, é do dia 29. Dois mais nove, onze. E que o Foca, meu cãozinho que morreu ano passado é do dia 6/5. Ponto, 11. 

6 comentários:

Menina disse...

Realmente, 10 é pouco para você. Merece, no mínimo, 11. Adoro seus textos!
Parabéns para o RF e só pra ele, porque não estou muito confiante nessa seleção convocada.

Beijos, querido!!

Dani disse...

Cada vez que venho aqui me deparo com algo muitíssimo interessante.
Parabéns

Ela disse...

Esqueceu do Zezinho, cachorro da mulher do dia 29, que é do dia 09/02... Também é 11...

Beijos

Hotel Crônica disse...

Caraca, cê tá mais superticioso do que o Zagallo com aquele 13 maldito dele...

Mas... Voilá.

Que tal HEXA CAMPEÃO
(4) + (7) = 11 Letras

Essa Lógica funcionou para Zagallo.

Será que essa lógica também se aplica em relação:

A MINA DO CARA = 11 ??
(1) + (4) + (2) + (4)

Vi e Ouvi Por Ai disse...

Estamos sorteando no blog Vi e Ouvi Por Aí o livro "1001 Discos para Ouvir Antes de Morrer"... Passe lá e confira!!!!

www.vieouviporai.blogspot.com

Bjoss

Sylvio de Alencar. disse...

Então, vc vai editar um livro?

Cara, vc é um experte em RF!

Incomunicabilidade, ele. Antipatia, o filho dele.

RF: tem quem goste, e tem quem não.

Faz taaaanto tempo que li um livro dele!!!!
Passei os olhos pelo que tem o personagem Mandrake.

Vc continua em forma, meu amigo!
fiquei sem conexão um bom tempinho.

Abrçs!