4 de set de 2009

"Fininho da vida"

"Fininho da vida" é o título de uma música do Rappa, do novo cd 7x. Fiquei pensano sobre este título um bom tempo. E juntando a letra fiquei pasmado.
Realmente, quem anda pelas ruas das cidades passa por pessoas que estão ali para sobreviver, vendendo o almoço para comprar a janta. E muita gente passa por essa situação. E muitas vezes numa boa. Fazendo do arroz com feijão um banquete!
Ontem quando estava saindo de Belo Horizonte pela via expressa, ainda no centro, vi uma cena interessante enquanto pensava sobre o que escreveria aqui. Estava pensando sobre as pessoas que nada tem e com isso fazem música, ao estilo rap, sem melodia, sem grande criatividade, com poucos recursos tecnológicos. E justamente pensando nisso vi um camarada saindo do bar com um cigarro e curtindo um rap bem alto.
O bar é frequentado por catadores de papel. E este camarada provavelmente é um catador. Ele devia ter feito a entrega, recebido seu dinheiro pelos papelões, e estava ali, fumando seu cigarro, bebendo sua cachaça, ouvindo seu rap. Este é o fininho da vida!
E logo adiante passei pelo restaurante popular. Lotado, claro! Fila enorme para entrar e fazer a refeição. São pessoas que ficam agradecidas pela refeição por 1 real. E para elas essa refeição é a salvação, pois não teriam o que comer. Nós, ou alguns de nós, sabemos que poderia ser feito muito mais por essas pessoas.
Ver a beleza do pôr-do-sol pela passarela que liga a rodoviária a estação de metrô, entre as gritarias dos comelôs, empurrões; parar e observar a bela flor na praça, a criança correr com sua inocência; ler um livro enquanto espera o ônibus depois do dia cheio; fazer a barba no banheiro da rodoviária.

"No buraco da vala, a laje é brinquedo. / Em meio a pet e plásticos / num domingo festivo, omingo lindo!" (O Rappa)

****
Quando estava no primeiro ou segundo ano da faculdade queria fazer um trabalho sobre letras e poesia, tinha até nome: Letras que viram poemas. Este nome foi dado para um trabalho que fiz sobre a intertextualidade entre certas músicas.
E se fosse retomar este trabalho faria sobre as letras do Rappa, com certeza. (Outra hora falo sobre isso).

Nenhum comentário: